• renovacon

Mercado para montar um salão de beleza


Os serviços que serão oferecidos pelos salões de beleza irão variar de acordo com o foco do negócio, público alvo (segmentação), bem como o dimensionamento da área de atuação desses estabelecimentos.


Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC), mostra que desde 2013 o mercado de estética cresceu 567% no Brasil, passando de 72 mil para mais de 480 mil profissionais. Ainda segundo a associação que representa o setor, as perspectivas de crescimento para 2019 são de 1,5% a 2% em comparação ao ano passado, quando o setor movimentou R$47,5 bilhões. Conforme dados do ABIHPEC, ABEVD, ABF, FIESP e IBGE, após apresentar queda nos empregos diretos em 2015 e 2016, o setor de beleza voltou a apresentar crescimento pelo segundo ano consecutivo. Com o crescimento, o país tem apresentado crescente aumento até mesmo em relação a exportações de materiais do segmento, conforme informado pelo Ministério da Economia/SECEX. De acordo com dados da ABIHPEC, atualmente existem cerca de 2.794 empresas regularizadas no segmento de estética/beleza junto a ANVISA em 2018, sendo que a maior parte dessas empresas estão concentradas na região sudeste, com cerca de 39,6% dos prestadores de serviços do segmento. O Brasil está classificado em 4º lugar no mundo na procura de serviços de estética/beleza, ficando atrás somente dos EUA, China e Japão, evidenciando assim o franco crescimento e participação no desenvolvimento da economia brasileira. Nas últimas duas décadas, o desenvolvimento da indústria brasileira de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (HPPC) foi significativo. Seu crescimento médio deflacionado chegou a mais de 10% ao ano, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Higiene Pessoal, Perfumaria e Cosméticos (ABIHPEC). Por outro lado, estimativas atuais indicam que os gastos médios das famílias com produtos do setor são da ordem de 1,5% do seu orçamento.

Levando em conta a informação de que a mulher brasileira gasta anualmente 11 vezes mais com beleza do que as mulheres inglesas, e o fato de que os homens também buscam esses serviços cada vez em maior número, é preciso acompanhar as tendências e se reinventar para oferecer serviços e produtos que atendam as expectativas do público consumidor, cada vez mais exigente.


O setor de beleza no Brasil ainda é em grande parte direcionado ao público feminino, contudo a oferta de serviços customizados para o público masculino tem tido elevado crescimento, podendo ainda ser explorada de maneira mais significativa. Tal fato mostra um nicho de mercado importante e promissor a ser explorado por empreendedores que pretendem abrir um salão de beleza.

Uma das grandes apostas para o desenvolvimento do segmento de beleza está direcionada a longevidade que a população está alcançando. O envelhecimento com qualidade de vida é requisito essencial para a nova geração da 3ª idade que está se formando, onde existe grande procura de serviços de embelezamento, viabilizando uma procura maior de estabelecimento de beleza. Desta forma, a fidelização desse público alvo pode ser encarada como uma oportunidade de negócio. A atuação de serviços especializados de público infantil, requer do empreendedor serviços personalizados para este público, desde um local específico e colorido, no qual as crianças, além de poderem cortar os cabelos, possam divertir-se deixando as mamães livres para aproveitarem os demais serviços do salão, ressaltando que para este público o prestador de serviço deverá ter equipe especializada para a qualidade dos serviços, bem como garantir a segurança das crianças. Grandes negócios vêm surgindo nessa área, com competência técnica para prestar serviços de qualidade e com tratamento diferenciado ao cliente. Já existem hoje salões de beleza que ocupam mais de 1.800 metros quadrados de área nobre em espaços de grande circulação de pessoas. Porém, ainda há espaço para novos negócios, desde que, estejam comprometidos com a inovação, prestem serviços de qualidade, cobrem preços razoáveis e compatíveis com a média da região, ouçam seus clientes e adaptem seus serviços às características e expectativas da clientela e dos potenciais clientes.


OPORTUNIDADES E AMEAÇAS:

Oportunidades: Mercado masculino, infantil e terceira idade. Ameaças: forte concorrência, informalidade dos empreendimentos, necessidade de atualização constante e falta de divulgação adequada para o negócio. Nesse sentido, é importante lembrar que, apesar da concorrência cada vez mais acirrada no mercado de salões de beleza, a clientela geralmente é fixa e só procura a concorrência caso os serviços não sejam satisfatórios.

De acordo com estimativas da ANABEL - Associação Nacional do Comércio de Artigos de Higiene Pessoal e Beleza, o Brasil já contava com cerca de 616.033 salões de beleza em 2016 ( MEI, ME E EPP), aqui não considerando os informais que ainda existem. Em 2005 esse número era de 273.482, o que significa uma variação positiva nos últimos anos. Eles geram 1,3 milhões de postos de trabalho, um crescimento de 5,9% ao ano, nos últimos 10 anos. Portanto, o investidor deve se manter antenado com as constantes inovações do setor, em termos de resultado esperado, equipamentos, procedimentos, produtos, instalações, forma de funcionamento, entre outros. O empreendedor deve estar atento para especialização profissional que vem ocorrendo nesse segmento devido ao aumento da oferta de cursos superiores tecnólogos em estética, beleza e cosmetologia, com duração de até dois anos. Com isso, a qualidade dos serviços vem apresentando avanços significativos e novos empreendedores com bom nível de conhecimento estão entrando no mercado.



Fonte de pesquisa: Sebrae

Foto: Freepik

Assessoria de Marketing: @4brand.assessoria



0 visualização0 comentário

Posts recentes

Ver tudo